CHAT :RADIOFMESPERANCANOSSA

Administradores ModeradoresMembrosVisitantesOfflineBanido


Get your own Chat Box! Go Large!
Radiofmesperaçanossa

Siga Este Blog !!

Ola ! A Paz Do Senhor , Gostaria De Agradecer A Voce Que Ja E Seguidor Do Nosso Blog , E Gostaria De Pedir A Voce Que Ainda Nao E Pra Fazer Parte Deste Grupo !! VAMOS LA , RUMO AOS 200 SEGUIDORES !!

Facebook

Pesquisar este blog

As 22 lições da cura de Naamã ESBOÇOS...


Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja
 Assembleia de Deus no Estácio
Rua Hadok Lobo, nº 92 - Pastor Presidente Jilsom
 Menezes de Oliveira



Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus a Paz do Senhor!





Falar sobre as lições do episódio envolvendo a cura de Naamã é sempre algo envolvente e interessante. O relato bíblico se baseia em Rs 5.1-27 e traz-nos uma série de lições práticas para cada um de nós. Vamos acompanhar!

Naamã é um personagem bíblico importante não por causa de quem era (não era um israelita), nem por causa das coisas que realizou, mas estritamente por causa de uma grande obra da graça de Deus nele.

Ele era capitão de todos os exércitos da Síria. Os Sírios eram inimigos do povo de Israel, ainda como o são hoje, quase 2900 anos depois.

Porém, Naamã era um bom líder e era muito popular com seu rei. Era honroso e seu rei teria feito tudo que pudesse para ajudá-lo, mas não podia ajudá-lo, pois Naamã tinha a incurável e fatal doença da lepra.

Quando uma jovem israelita, que Naamã havia capturado e dado a sua esposa como criada ouviu isso, falou sobre o profeta Eliseu na cidade da Samaria.

Assegurou-lhes que Eliseu poderia curá-lo de sua lepra. Então, Naamã agrupou seus criados, juntou uma grande quantia de riquezas (aproximadamente U$ 125.000) e partiu para Samaria para ver Eliseu.

Agora, Naamã estava orgulhoso e pensava muito grandemente de si mesmo. Esperava que Eliseu saísse para conhecê-lo e que faria uma grande coisa da sua curada; e então, Naamã lhe daria muito dinheiro e iria embora orgulhosamente.

Eliseu sabia disso e desejava dar a glória a Deus, não a Naamã ou a si mesmo. Nota que a lepra é como o pecado e a cura dela é como o perdão.

Assim, Eliseu não faria nada que exibisse o homem como se tinha feito algo para executar ou merecer essa cura. Apenas mandou seu criado Geazi dizer a Naamã para se banhar no Jordão, um rio sujo. Saberia, assim, que sua cura não vinha de si mesmo, nem da água ou de Eliseu, mas de Deus.

Naamã ficou muito furioso por isso, mas, quando um de seus servos racionou com ele, obedeceu e foi curado.

Tentou, então, dar dinheiro a Eliseu. Eliseu recusou, mas Geazi pegou uma parte do dinheiro e a lepra de Naamã caiu sobre ele. Alguém pode se surpreender com tal julgamento severo, mas precisamos lembrar que Deus precaver-se zelosamente contra homens que comercializam coisas sagradas.

Veja a seguir um lindo poema sobre a vida e a cura de Naamã:

“Era Naamã, chefe do exército do rei, muito respeitado em sua terra

Pois a ele o Senhor dera livramento em muitas guerras

Na Síria não havia homem mais valente

No entanto, algo lhe deixava descontente

Pois, embora tão admirado por seu povo

Naamã, era doente, Naamã era leproso

E o mais condecorado homem da época

Escondia debaixo de suas vestes, sua lepra.*

Uma menina cativa é usada por Deus para mudar de Naamã a história

Quando sobre o profeta Eliseu ela fala à sua senhora

Dizendo que havia um profeta em Samaria

Que a pele de Naamã restauraria

Movido pelo desejo intenso da cura que sua alma lhe ativa,

Parte Naamã com muitos presentes e sua comitiva

Errou, pelo orgulho, quando ao rei recorreu para atingir sua meta

Disse então Eliseu: Manda-o a mim e saberá que em Israel há profeta.*

Com toda pompa, diante da porta de Eliseu parou Naamã ligeiro

Eliseu calmamente enviou-lhe um mensageiro

Dizendo que ele fosse lavar-se sete vezes no Jordão

Para que sua carne fosse restaurada, e purificado ficasse então

Porém, Naamã indignou-se muito com aquele recado de Eliseu

Disse que este, deveria pôr-se em pé e invocar o nome do Senhor seu Deus

Depois agitar a mão sobre o lugar infectado

E dessa forma seria ele curado.

Afinal, por que ele entraria no Jordão, um rio que lhe dava asco

Se melhores que os rios eram Abana e Farpar em Damasco?

_ Não poderia eu lavar-me neles e se purificado?

Assim se voltou Naamã e se foi indignado.

Penso que o que incomodava Naamã de no Jordão entrar

Era a camada mais profunda de sua lepra que não podia ser vista num primeiro olhar

Mas o olhar da perfeição do nosso Deus já notara

Que o orgulho de Naamã é quem o deformara

Conhecedor, Sabedor de todas as coisas, sabia que para Naamã curado ser

Ao rio Jordão primeiro, ele deveria DESCER.*

Incentivado por seus servos que começaram a lhe dizer:

-Se o profeta houvesse indicado, coisa difícil ias fazer.

Refletindo, notou que seus servos tinham razão,

Foi-se Naamã e desceu: Mergulhou no Jordão.

Não sei quando para Naamã foi mais difícil

Se os últimos mergulhos, ou se foram os do início.

Pois cada vez que tinha que voltar e mergulhar outra vez

No rio Jordão, deixava um pouco de altivez

O importante, é que na sétima vez que mergulhou

Com a pele de um menino Naamã voltou!

E o mais lindo dessa história é que agora ele reconhecia:

Que como o Deus de Israel outro não havia.

Quantas vezes agimos assim, como Naamã

Querendo ensinar a Deus como nossa vida tornar sã

Pois a maneira de Deus tão perfeita de curar

Na nossa lepra mais profunda vai tocar

E, tão arrogantes muitas vezes só enxergando o que nos convém

Vamos precisar ao Jordão descer também

Pois o Jordão de Deus é sempre o melhor lugar

Que nossa ferida, nosso trauma, nossa alma vai curar

O Jordão ás vezes é um cárcere, uma prisão

Onde Deus nos ensina sua preciosa lição

E a lepra é muitas vezes nossa independência de Deus,

Não o reconhecemos, ignoramos os favores seus

Então Deus, nos deixa um, dois, três, quem sabe sete anos mergulhando

Ou como fez com Israel, quarenta anos humilhando

Para nos provar e fazer entrar em Canaã. “Mas com a pele limpa, como a pele de Naamã”.

Vejamos agora as 22 lições que extraímos com o milagre de Naamã:

1. As necessidades são parte dos planos de Deus para mim ( v. 1-8)

A. Deus está ciente das nossas necessidades

B. Ele permite que elas sejam uma parte da vida.

C. Para que possamos buscar o Deus verdadeiro

D. Naamã tinham suas próprias crenças, mas seu deus, não podia curá-lo.

2. Deus não se preocupa com a posição (v. 9-10)

A. Naamã exibiu sua riqueza, fama e poder. Mas Eliseu não se importou.

B. Naamã esperava uma recepção calorosa do profeta, mas ele foi ignorado.

C. A cabeça inchada não pode ver Deus.

3. Deus mostra misericórdia para com os humildes de coração (v. 11-14)

A. Só que fizer como uma criança, vai ver o reino de Deus (Mt 19.13-15)

B. O Jordão era um rio sujo.

C. Eliseu ordenou Naamã mergulhar sete vezes no rio Jordão.

D. Deus mostra misericórdia para com os humildes.

4. Você nunca pode pagar a Deus ( V. 15-19)

A. Eliseu rejeitou a recompensa de Naamã.

B. Mas Naamã se converteu.

C. Nós não podemos pagar a Deus pelo que ele fez. Nós só podemos segui-lo.

D. A única coisa que Deus exige de nós é gratidão. “Em tudo daí graças...” (I Ts 5:18 ;Ef 5:20)

A. Nós conhecemos a Deus porque as nossas necessidades que os outros não pode cumprir.

B. Deus mostra misericórdia aos humildes, independentemente da classe social, e grupo étnico.

C. Se você encontrou com Deus hoje, escolha segui-lo de todo coração.

5. A lepra é o mais vivo tipo do pecado: este afeta a memória, vontade, consciência, coração e a alma.

6. Toda a humanidade hoje está contaminada (Is 64.6; 1.5, 6; Jr 17:9)

7. Contaminados, estamos separados de Deus ( Rm 3.23).

8. Na ciência ou moral humana não há cura.

9. O remédio seguro e eficaz. ( I Jo 1.7).

10. Muitos, como Naamã, acham esse meio muito fácil e barato, e procuram noutras fontes humanas a cura:

a) Nas riquezas (dinheiro) (Ec 5:10; 1 Tm 6.9, 10).

b) Nos prazeres. ( I Jo 2.15-17).

c) Nas boas obras, missas, jejuns, penitências e romarias ( I Sm 15.22).

d) Nas glórias – Carlos Magno, Napoleão, Luiz XIV.

11. Todos esses meios são fontes rotas e imprestáveis (Jr 2.13).

12. Jesus é a fonte verdadeira e pode curar (Is 1.18 ; Jo 4.14).

13. Esta fonte está sempre aberta (Zc 13.1).

14. A cura da morféia da alma é gratuita ( Is 55.1-3).

15 . A aplicação deste remédio é pela fé (Tg 1.5-7).

16 . É possível fazer bem a quem só nos faz mal.

17 . O marido que dá ouvido a sua esposa é muito inteligente.

18 . A gente só vai experimentar milagre verdadeiro quando bater na porta certa.

19 . Os homens de Deus não devem bajular os poderosos da terra,, quem quer que seja ele.

20 . Quem obedece ao homem de Deus, experimenta os milagres de Deus.

21 . Quem tem bons amigos ouve sempre bons conselhos.

22. Os milagres de Deus acontecem pela fé, simplesmente pela fé.

Aprendemos que Deus não “quebra galho”, não faz remendos, nem faz nada provisório.

O que ele faz é perfeito, completo e definitivo. Quando colocamos a nossa vida em suas mãos para que ele sare as nossas feridas e nos purifique de todo mal, podemos estar certos de que ele irá começar o tratamento pela raiz do problema.

Primeiramente ele quer tratar os males do coração, da alma, depois os físicos e materiais. A cura de Deus se dá de dentro para fora, pois a cura da alma é incomparavelmente mais importante e necessária, quando comparada com outras de nossa vida. Ela nos preserva a vida para a eternidade com Deus, enquanto as demais preservam a vida física, apenas para a nossa curta duração na terra.

Por vezes deixamos de receber muitas bênçãos de Deus por causa da nossa arrogância.

Queremos que ele faça do nosso jeito, no nosso tempo e em local às vezes por nós determinados. Só que Deus não age dessa forma. Ele não se submete aos nossos caprichos, ele não recebe ordens e nem aceita opiniões.

Ele opera do jeito dele, no tempo dele e no local por ele determinado e pronto! Ele é soberano! Absoluto! Para recebermos o tratamento de Deus, temos que nos despir das roupagens que escondem as nossas mazelas e apresentarmos a ele como de fato somos, pois não há como enganá-lo.

Paulo, o grande apóstolo, certa feita assim se expressou: “Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Rm. 7.24).

Se dermos a Deus a liberdade para ele agir na nossa vida e nos curar por completo, espírito, corpo e alma, ainda que ele tenha que nos quebrar e nos fazer de novo, seremos curados. Ele é poderoso o bastante para nos transformar num novo ser, manso e humilde de coração, curado das feridas do corpo e da alma, libertos e vitoriosos.

Então estaremos por cima e não por baixo, por cabeça e não por calda, habitando na terra, mas vivendo a realidade do reino dos céus, da vida abundante prometida por Jesus.

Então poderemos orar assim: Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu.

Que Deus, em Cristo Jesus nos abençoe!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails