CHAT :RADIOFMESPERANCANOSSA

Administradores ModeradoresMembrosVisitantesOfflineBanido


Get your own Chat Box! Go Large!
Radiofmesperaçanossa

Siga Este Blog !!

Ola ! A Paz Do Senhor , Gostaria De Agradecer A Voce Que Ja E Seguidor Do Nosso Blog , E Gostaria De Pedir A Voce Que Ainda Nao E Pra Fazer Parte Deste Grupo !! VAMOS LA , RUMO AOS 200 SEGUIDORES !!

Facebook

Pesquisar este blog

Encontrando-se com Jesus – O Homem Rico




Hoje vamos meditar sobre o encontro entre Jesus e um homem que queria saber como herdar a vida eterna. Essa história está narrada no evangelho de Lucas 18:18-23 e também nos evangelhos de Mateus (19:16-22) e Marcos (10:17-22).

(18) E perguntou-lhe um dos principais: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? (19) Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus. (20) Sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe. (21) Replicou o homem: Tudo isso tenho guardado desde a minha juventude. (22) Quando Jesus ouviu isso, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens e reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. (23) Mas, ouvindo ele isso, encheu-se de tristeza; porque era muito rico.
Esse encontro normalmente é citado como a história do jovem rico. E embora no evangelho de Mateus ele seja chamado de jovem, nos evangelhos de Marcos e Lucas o perfil é de um homem maduro, com posição de destaque na sociedade.

Todos os evangelhos reforçam a idéia de que ele tinha algum tipo de autoridade em sua comunidade (em outras palavras, poder) e que era um homem riquíssimo (Lc 18:23) ou dono de muitas propriedades (Mc e Lc).

Nosso personagem de hoje era um homem com profundas raízes religiosas. Ele estava preocupado com a vida eterna. Nesta vida ele já tinha o suficiente, mas ele se sentia inseguro em relação à eternidade.

Nós não sabemos a origem da sua riqueza. Talvez ele tivesse feito por onde, trabalhado arduamente em seus empreendimentos e investido corretamente os seus ganhos até que se tornou dono de muitas propriedades; ou quem sabe ele era de uma família rica que havia deixado para ele uma grande herança, muitos bens e muita riqueza.

De uma forma ou de outra, parece que ele vai ao encontro de Jesus porque sentia que agora era necessário garantir também uma boa vida eterna.


Talvez você não seja rico, mas seja alguém preocupado em garantir uma boa eternidade. Essa é uma preocupação legítima e decisiva para o seu futuro. Por isso vamos aprender com os erros e acertos daquele homem em sua busca por uma boa vida eterna.

Se você nunca pensou sobre isso, eu quero lhe convidar a considerar que há uma vida que se estende além da morte. Fomos criados à imagem e semelhança de um Deus eterno, portanto ainda hoje Ele nos chamar para o nosso destino é a eternidade ao lado Dele.

A quem procurar?

Se você é como aquele homem rico, a primeira questão que você precisa resolver é: a quem devo procurar para garantir uma boa eternidade? Quem poderia lhe dizer algo sobre como obter uma extensão dessa vida? Quem tem experiência própria em vencer a morte?

Apenas Jesus tem orientação segura a respeito da eternidade. Há pelo menos dois motivos para pensarmos assim: primeiro porque antes de se fazer homem, ele já conhecia a eternidade.

(1) No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (2) Ele estava no princípio com Deus. (3) Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. (4) Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens; (Joh 1:1-4)
João não inventou isso. Ele apenas estava descrevendo aquilo que o próprio Senhor havia afirmado em uma conversa com os fariseus.
(43) Por que não compreendeis a minha linguagem? é porque não podeis ouvir a minha palavra. (44) Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira. (45) Mas porque eu digo a verdade, não me credes. (46) Quem dentre vós me convence de pecado? Se digo a verdade, por que não me credes? (47) Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso vós não as ouvis, porque não sois de Deus. (48) Responderam-lhe os judeus: Não dizemos com razão que és samaritano, e que tens demônio? (49) Jesus respondeu: Eu não tenho demônio; antes honro a meu Pai, e vós me desonrais. (50) Eu não busco a minha glória; há quem a busque, e julgue. (51) Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte. (52) Disseram-lhe os judeus: Agora sabemos que tens demônios. Abraão morreu, e também os profetas; e tu dizes: Se alguém guardar a minha palavra, nunca provará a morte! (53) Porventura és tu maior do que nosso pai Abraão, que morreu? Também os profetas morreram; quem pretendes tu ser? (54) Respondeu Jesus: Se eu me glorificar a mim mesmo, a minha glória não é nada; quem me glorifica é meu Pai, do qual vós dizeis que é o vosso Deus; (55) e vós não o conheceis; mas eu o conheço; e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós; mas eu o conheço, e guardo a sua palavra. (56) Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; viu-o, e alegrou-se. (57) Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos, e viste Abraão? (58) Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou. (59) Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo. (Joh 8:43-59)
Segundo, porque ele ressuscitou. A morte não pôde detê-lo. O apóstolo Pedro, discursando no dia de pentecostes em que o Espírito Santo foi derramado sobre a Igreja disse o seguinte:
(22) Varões israelitas, escutai estas palavras: A Jesus, o nazareno, varão aprovado por Deus entre vós com milagres, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis; (23) a este, que foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, vós matastes, crucificando-o pelas mãos de iníquos; (24) ao qual Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte, pois não era possível que fosse retido por ela. (Act 2:22-24)
No tempo que conhecemos como hoje, o Senhor Jesus vive a plenitude da eternidade com Deus. Por isso, apenas Ele pode falar com segurança sobre uma boa eternidade. O homem da nossa história, então, tomou uma decisão correta. Ele foi procurar Jesus.

Se você quer garantir uma boa eternidade, eu quero encorajá-lo a fazer como aquele homem rico e também procurar a Jesus. Ele não nos rejeita, ao contrário, Ele nos acolhe e oferece descanso e alívio.
Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. (Joh 6:37)
Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. (Mat 11:28)
Aproximando-se de Jesus

O primeiro passo daquele homem foi acertado: procurar Jesus. No entanto, as primeiras palavras que ele dirigiu ao Senhor revelaram que ele ainda não entendia muita coisa a respeito da eternidade.
E perguntou-lhe um dos principais: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? (Luk 18:18)
Aquele homem estava acostumado a obter aquilo que queria e de fazer o que fosse necessário para isso. Riqueza e prestígio não estão à disposição de qualquer um, mas apenas daqueles que estão dispostos a usar as armas certas para obtê-los. Ele já tinha tudo que queria nesta vida, agora ele queria a vida eterna. Talvez fosse um bom começo, tratar a Jesus com deferência e elogios.

A resposta de Jesus parece até um pouco grosseira:
Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus. (Luk 18:19)
Porque você está me chamando de bom? Porque você está começando com elogios baratos? Você está querendo se relacionar comigo usando as mesmas armas que você usa para sobreviver entre os seus? Jesus sentiu nas palavras daquele homem uma tentativa de manipulação.

Há muitas pessoas que, por um motivo ou outro, sentem necessidade de ir ao Senhor. Mas, as primeiras palavras que falam diante dele revelam sua falta de compreensão a respeito da vida eterna. Elas consideram que usando algumas estratégias bastante conhecidas elas alcançaram como prêmio uma boa vida eterna.

(A) Há aqueles que tentam se utilizar suas capacidades intelectuais para convencer Deus de algo. Tentam persuadir a Deus. Acham que um pouco de lógica, um pouco de raciocínio e algumas frase bem colocadas serão capazes de convencer ao Senhor de que eles realmente merecem receber uma boa vida eterna.

(B) Outros tentam envolver o Senhor em um ambiente emocional. Fazem “biquinho”, choram, pranteiam e fecham o semblante tentando sensibilizar o Senhor. Acham que a bondade de Deus se traduz por um coração mole, que não é capaz de ver o sofrimento de um filho (O amor de Deus não é assim).

(C) Há ainda os que tentam força Deus a fazer o que eles querem. São aqueles que determinam e decretam os passos que o Senhor dará. Eles ameaçam a Deus, fazem chantagem e tentam extorqui-lo com todo tipo de ameaça. Acham-se pessoas cheias de direitos e vêem Deus com um tipo de gênio da lâmpada, e tentam se aproveitar das promessas que Ele fez.

Essas maneiras de abordar o Senhor têm uma falha comum. Não há relacionamento. Para essas pessoas, a vida eterna é uma espécie de bem, de prêmio que eles querem conquistar a qualquer preço. Deus não é visto como alguém com quem elas desejam relacionar-se, mas como alguém que tem algo que elas querem. Foi assim com aquele homem rico.

O elogio era apenas para “amaciar” Jesus e obter dele a resposta que lhe permitiria, em um passe de mágica, obter a desejada vida eterna. Por isso as palavras duras de Jesus.

Quais são suas intenções ao se aproximar do mestre? O que você quer obter dele? Você quer descobrir as palavras mágicas, o jeito certo de falar, a maneira de agir que vai acionar os prêmios de Deus para você? Não é esse o melhor caminho para quem desejam uma boa vida eterna. Em vez de tentar descobrir as teclas mágicas, você precisa descobrir o prazer de relacionar-se com o Senhor.

Não há engano aqui. O Senhor não está disposto a travar um relacionamento em que a desconfiança seja a base. Jesus não vai embarcar em um relacionamento no qual a outra parte (procura) extrair o máximo de benefícios e prestígio, sem importar-se com Ele mesmo.

O farei eu para herdar a vida eterna?

O que pode alguém fazer para tornar-se herdeiro de outra pessoa? Absolutamente nada! Somos feitos herdeiros, não nos fazemos herdeiros. A herança é um presente que recebemos. A pergunta daquele homem era incoerente.

Mas a bondade de Jesus vence toda a nossa incoerência. Mesmo quando não sabemos como perguntar, mesmo quando não sabemos exatamente o que queremos saber, Ele nos ouve e responde. Por isso vale a pena recorrer a Ele.

Pacientemente o Senhor vai conduzindo a conversa de maneira que o coração daquele homem é revelado a cada passo.

Quando nós chegamos até Jesus precisamos estar atentos porque o nosso coração será revelado. Nossas motivações, nossos enganos e auto-enganos serão expostos. São oportunidades para que seja dada permissão ao Espírito de Deus para mudar nossa mente e nos moldar a semelhança de Cristo.

O Senhor pergunta primeiro pelos mandamentos. Então ele afirma com orgulho que desde a mocidade já cumpria todos eles. Aquele homem aguardava uma palavra de louvor da boca de Jesus, algo do tipo: Parabéns! Você é um cara realmente bom! Agora é continuar cumprindo a lei e “partir pro abraço”!

Mas o Senhor sabia onde o seu coração estava preso.
(22) Quando Jesus ouviu isso, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens e reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me.
A resposta de Jesus era simples: o que você precisa fazer para herdar a vida a vida eterna e comprovar que é um filho de Deus. Não havia nada para fazer, era preciso ser.

Os filhos de Deus abrem mão de tudo e de todos para simplesmente estar na presença Dele.
Quem ama a sua vida, perdê-la-á; e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. (Joh 12:25)
Os filhos de Deus ouvem a voz do Senhor e o seguem
(27) As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; (28) eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. (Joh 10:28)
O que é a vida eterna

A vida eterna não é um bônus de final de ano ou um prêmio por produtividade. A vida eterna é um relacionamento com Deus que resulta em clareza de propósito para a vida e no prazer de ter encontrado seu lugar no universo criado por Deus: a permanente comunhão com Ele. Em sua oração sacerdotal, Jesus deixa claro o que é a vida eterna.

Não há fogos de artifício. Não há elementos espetaculares. Mas a simplicidade de um relacionamento maduro com Deus.
(1) Depois de assim falar, Jesus, levantando os olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o Filho te glorifique; (2) assim como lhe deste autoridade sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos aqueles que lhe tens dado. (3) E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste. (Joh 17:1-3)
Há um fala de Jesus com aquele homem rico que muitas vezes passa despercebida. Depois de revelar a avareza do seu coração, que não era capaz de abrir mão da riqueza nem em troca da vida eterna, Jesus faz um convite simples e direto.
(22) Quando Jesus ouviu isso, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens e reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me.
Vida eterna é andar com Jesus. É estar ao lado dele, conversar com ele, aprender dele e ser aperfeiçoado por Ele. Vida eterna e permitir que nossas mentes sejam moldadas pela mente de Cristo. Vida eterna é conhecer a Jesus tão de perto que não somos mais nós que vivemos, mas Cristo que vive em nós.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails